Páginas

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Lagarta

"Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo"Cansei de ser o que querem que eu seja, vou ser o que eu quiser ser.Não preciso de respostas concretas, não preciso de respostas tão eternas, tão duradouras, tão planejadas.Não preciso dizer todas as respostas.
Prefiro ser a fuga das palavras, ser o silêncio misterioso, o relicário protegido, as águas que passam as vezes tranquilas e quieta, as vezes velozes, enérgicas, revoltas.Prefiro ser o pensamento distante e infantil ou a seriedade e o choro parado na garganta.
Prefiro ser assim ausente, não pertenço a esse mundo fútil que fazem parte.Faço parte de um mundo real onde muitos ignoram  tudo e fingem que tudo está bem. E outros lutam por aquilo que não passa, aquilo que muitos preferem fingir que não existe, por medo de ser difícil demais.Medo de ter que entregar algo.Vivo num mundo de esperança.Não  um mundo ideal, mas um mundo de espera pelo ideal.
Sim eu aceito viver estes desafios, o amor maior está a minha espera.Ele está quase pulando das estrelas, Ele também sente minha falta.Por Ele permaneço firme, mesmo que o mundo desabe, mesmo que o medo me abale ou a covardia me segure.Eu aceito.Eu continuo esperando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário